Câmbio Automático – Dicas para aumentar sua durabilidade

24 de Outubro de 2016 às 08:00
carplace-volvo-xc60-t5-2012-102
COMPARTILHAR

Para muitos motoristas, o câmbio automático se tornou item indispensável na compra de um carro novo. Em grandes centros urbanos, com o pesado trânsito e o incansável anda-e-para, a condução pode se tornar muito menos cansativa, tornando-se até prazerosa.

Mas o que muitos pensam, é que essa facilidade no dirigir faça com que o câmbio demande menos atenção. Isso é um pensamento muito equivocado, e o proprietário tem de estar ciente que a atenção em certos detalhes do sistema pode fazer total diferença na vida útil do câmbio do seu carro.

Se estava pensando em só colocar no “D” e curtir o passeio, esqueça! Mas para lhe ajudar, separamos algumas dicas importantes para manter em dia o seu câmbio:

  1. Toda vez que estacionamos, puxamos o freio e o carro ainda dá aquela pequena movimentada. Portanto, sempre que estacionar (principalmente em ladeiras), lembre-se dessa ordem: ao terminar de manobrar, pise no freio, coloque a alavanca na posição neutro “N”, puxe o freio de estacionamento (freio de mão) e só então coloque a alavanca de câmbio na posição park “P”. A trava do câmbio que é acionada ao colocar no “P”, não é projetada para suportar o peso do carro, assim como o restante do mecanismo. Ao seguir esses passos, se evita sobrecarregar o câmbio com o peso do veículo, fazendo com que a função fique a cargo somente dos freios do veículo.
  2. Em longas descidas, não utilize a marcha“D”, muito menos a marcha “N”, já que em ambas situações o carro pode ganhar muita velocidade, obrigando assim uma frenagem brusca e desgaste excessivo desse conjunto. No caso da posição “N”, o câmbio ainda ficará sem a devida lubrificação. Utilize a posição “2” segunda marcha ou “3” terceira marcha e faça valer o freio-motor, assim como num câmbio manual.
  3. A maioria dos condutores pensam que se deve arrancar sempre na posição“D”. Nem sempre isso é o correto. Caso esteja estacionado em uma ladeira, utilize a posição “1” para sair em primeira marcha, e somente depois de embalado, passe para a posição “D”, evitando assim um desgaste desnecessário do conjunto. A posição “D” deve ser usada apenas em locais planos.
  4. Manutenção é essencial para qualquer sistema mecânico, portanto, não fique na mão. Revise periodicamente o sistema, e lembre-se que é fundamental trocar o óleo a cada 45 mil quilômetros rodados (isso pode variar de sistema para sistema, consulte o manual do veículo).
  5. Não engate a marcha ré “R” enquanto o veículo ainda estiver em movimento, isso ocasiona trancos desnecessários que forçam o conjunto. Pare totalmente o carro, aperte o botão de travamento da alavanca e só então coloque em “R”.
  6. Jamais engate“P” com o carro em movimento, pois o tranco ocasionado pode prejudicar a vida útil do sistema da transmissão, e ainda pode causar um indesejado acidente de trânsito.
  7. Somente reboque seu carro em um guincho de plataforma, pois as rodas do eixo responsável pela tração de um carro automático não podem rodar por muito tempo com o veículo desligado. Rodar assim poderia aumentar o risco de danificar alguns componentes da transmissão.
  8. Em casos de subida em ladeira com o carro muito pesado ou carregado, é muito provável que sua transmissão fique alternando entre uma marcha mais alta e uma mais baixa (“2” e “3”, por exemplo). Evite esse desgaste desnecessário do conjunto de embreagem e desligue o overdrive. Ou caso seu veículo tenha uma transmissão do tipo Tiptronic, prefira fazer as trocas manualmente, sentindo o giro do motor.
  9. Algumas transmissões automáticas mais modernas já possuem sistemas que detectam quando o carro não está mais em movimento, realizando assim uma transição automática para o neutro “N”. Mas caso seu veículo não seja equipado com estes sistemas, e o carro fique parado por longo período (caso de engarrafamentos, por exemplo), mova a alavanca para a posição “N”. Isso faz com que economize embreagem e combustível do seu carro.

Entenda o que significa cada um dos comandos do câmbio automático:

  • P – Park: para estacionar. Recomendado para dar a partida e desligar o motor do automóvel. Bloqueia as rodas de tração.
  • R – Reverse: marcha à ré. Essa função é acionada com o auxílio de um botão acoplador, localizado na alavanca de câmbio.
  • N – Neutral: é o neutro, o popular ponto morto. Posição que pode ser usada ao dar a partida e desligar, assim como em longos períodos parado com o motor ligado. Não bloqueia as rodas de tração.
  • D – Drive: para movimentar o veículo para frente, usado na maior parte do tempo, cabendo ao motorista acelerar e frear.
  • 4–3–2–1–(L): posições que permitem o bloqueio da marcha selecionada. O bloqueio é usado em situações extremas quando o veículo troca várias vezes de uma marcha para outra, impede que o veículo troque as marchas automaticamente.

 

Fonte: Thoten / terra.com.br

Foto: CarPlace
COMPARTILHAR