FCA é acusada de burlar emissões de poluentes nos Estados Unidos

23 de Janeiro de 2017 às 08:00
maxresdefault
COMPARTILHAR

O grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles) foi acusado no último dia 12 de janeiro por burlar e manipular dados de emissão de poluentes. A investigação veio após testes realizados e resultados constatados nos veículos RAM 1500 e Jeep Grand Cherokee equipados com motor 3.0 turbo diesel.

Segundo a entidade EPA (traduzido, Agência de Proteção Ambiental), cerca de 104 mil carros dos modelos anteriormente citados, fabricados entre 2014 e 2016, possuem um software que libera níveis de poluição excessivos. Esse software está num dispositivo auxiliar de controle de emissões que emite mais óxido de nitrogênio do que o permitido pelo país.

A legislação americana permite a instalação de um controle auxiliar de emissões, mas com o único intuito de proteger partes do motor. Segundo a entidade, a FCA não havia informado a presença deste dispositivo auxiliar em seus propulsores.

O presidente global da FCA, Sérgio Marchionne, negou que haja qualquer tipo de adulteração nos motores do grupo. Segundo ele, nunca foi feito nada ilegal, muito menos criadas formas de fraudar as condições de teste, isso não faria sentido para a montadora.

A FCA dos Estados Unidos ainda rebate alegando estar desapontada com a EPA, e que irá provar que não há nenhuma fraude em seus softwares de controle de emissão de poluentes.

O reflexo disso foi uma queda de 12% nas ações da bolsa de valores dos Estados Unidos no dia seguinte ao anúncio, assim como uma queda de 16% nas ações na bolsa de Milão.

A EPA ainda não anunciou se o caso vai se enquadrar exatamente no Dieselgate, mas existe sim essa possibilidade. Lembrando que o pior caso foi o da montadora Volkswagen, onde cerca de 11 milhões de veículos foram fraudados, gerando multas bilionárias à montadora e seis executivos tiveram denúncia formalizada (sendo um deles preso no último dia 7 de janeiro). Além da Volkswagen, também houveram casos constatados em veículos da Audi, Mercedes, Porsche e Opel (GM) em diversos países.

Fonte: wm1.com.br

Foto: Eric Seals/Detroit Free Press
COMPARTILHAR