Assim como Onix, Ford Ka também recebe nota zero em teste de colisão

31 de Outubro de 2017 às 08:00
destaque
COMPARTILHAR

O Ford Ka vendido na América Latina foi reprovado no novo teste de segurança do Latin NCap (já seguindo os padrões mais rigorosos adotados em 2016).

O modelo não conquistou pontuação nenhuma na proteção a adultos (nos assentos dianteiros), na escala que vai de um a cinco. Já a proteção para crianças (banco traseiro) conseguiu três estrelas, índice também considerado fraco. Em novembro de 2015, o Ka havia conquistado quatro estrelas para adultos e três para crianças. Agora, porém, a nota foi reduzida porque ele foi testado seguindo as novas regras do NCap.

Segundo o órgão que realiza os testes, esse resultado é extremamente desapontador. Tanto a versão hatch quanto a sedã do modelo obtiveram o mesmo resultado. Antes do Ka atingir esse péssimo resultado, o Chevrolet Onix (modelo mais vendido do país) também havia sido reprovado.

Essas novas regras incluem a realização de testes que simulam uma colisão lateral, prova a qual o Ka demonstrou níveis altos de lesões no peito do ocupante adulto, penetração profunda do pilar B no habitáculo do veículo e abertura da porta, conforme o relatório do Latin NCAP.

Já a proteção às crianças no banco traseiro chegou a três estrelas, porém também apresenta falhas. A principal falha é atribuída a porta traseira, que se abriu durante o teste de impacto lateral (expondo os passageiros a riscos maiores). Além disso, o modelo não oferece cintos de três pontos para todos os ocupantes, nem mesmo a possibilidade de desativar o airbag do passageiro frontal (para transportar cadeirinhas infantis com mais segurança). Outro ponto salientado é a sinalização do sistema Isofix, a qual foi considerada “deficiente”. Esses três itens diminuíram a nota do Ka na avaliação da proteção infantil.

O Ka e Ka+ são vendidos na Europa, mas por lá ele conseguiu atingir nota três em testes com exigências muito semelhantes ao do Latin NCap. Mas porque a diferença nas notas? Simples: na Europa ele possui barras laterais nas portas, seis airbags desde a versão de entrada, controle de tração e estabilidade de série.

Segundo Ricardo Rubio, presidente da comissão diretiva do Latin NCap, esse cenário só irá mudar quando os governos dos países latino-americanos passarem a pressionar mais as montadoras com questão a segurança apresentada nos veículos fabricados por elas. Sem as regulamentações adequadas nos países daqui, as montadoras podem vender veículos inseguros que jamais poderiam ser vendidos na Europa, na Austrália, no Japão ou na América do Norte.

Veja o vídeo dos testes realizados com o Ka e Ka+:

Fonte: g1.globo.com/autoesporte

Fotos: Latin NCap/divulgação
COMPARTILHAR