Em momento de baixa para as motos, scooters batem recorde de vendas

04 de Dezembro de 2017 às 08:00
destaque
COMPARTILHAR

O segmento de motos tem amargado uma profunda crise no mercado brasileiro, com quedas consecutivas nas vendas desde o ano de 2012. Mas o número expressivo de scooters comercializados em 2017 contrasta com cenário de profunda crise para o setor de motos no país. Este ano de 2017 está sendo particularmente bom para estes veículos, com recordes históricos.

De acordo com os dados divulgados em relação aos veículos emplacados no Brasil, em 2017 já foram vendidas mais de 48 mil unidades de scooters. Este é um número que acaba superando o recorde anterior, que tinha sido registrado no ano de 2014 (42.491 scooters vendidos) e que, até então, tinha sido o melhor ano para as scooters.

A expectativa é de crescimento na quantidade de modelos de scooters disponíveis no Brasil até o final do ano de 2017. De acordo com José Eduardo Gonçalves, diretor-executivo da Abraciclo, a expectativa é que sejam vendidos 50 mil motos do tipo scooter até final de dezembro.

O segmento de scooters, juntamente com o segmento de motos de alta cilindrada, estavam ajudando o segmento de motos, mas até mesmo os modelos mais caros acabaram demonstrando sinais de cansaço nas vendas deste ano. “Temos mais scooters vendidos do que motos de alta cilindrada. É o único nicho que está crescendo”, afirma José Eduardo Gonçalves.

O aumento das vendas de scooters não deixa de ser uma boa notícia para o mercado das motos como um todo, mas estes veículos ainda representam uma fatia muito pequena da quantidade de motos que são vendidas no Brasil. Desta forma, o crescimento da venda de scooters acaba não sendo muito impactante na quantidade global de motos vendidas. Para se ter uma noção disso, a expectativa é que o ano de 2017 termine com um total de 900 mil motos vendidas.

Fonte: g1.globo.com/autoesporte

Fotos: Divulgação
COMPARTILHAR