10 coisas que você precisa saber sobre sensores de estacionamento

14 de Maio de 2019 às 11:00
destaque
COMPARTILHAR

Você sabe como funciona o sensor de estacionamento do seu veículo? Ou quais os tipos de sensores disponíveis no mercado?

Nessa postagem vamos esclarecer 10 pontos sobre esse sistema:

  1. Como funcionam os sensores de estacionamento? Os sensores de estacionamento indicam a distância entre o veículo e possíveis obstáculos ao se efetuar a manobra de estacionamento. Essas indicações acontecem geralmente de forma visual (display indicando o lado em que há maior proximidade e a distância em que se encontra do obstáculo) e sonora (bips sequenciais que vão ficando mais intensos conforme a distância diminui). Geralmente esses sensores são ativados juntamente com a marcha ré do veículo;
  2. Qual a grande utilidade desses sensores? Se você precisa colocar o seu veículo bem próximo da parede ou de outro veículo, e está sozinho para efetuar a manobra, o sensor irá ajudar e muito para que seja feito de forma eficaz e sem danos ao seu veículo (aquela famosa “encostadinha”). Outro fator importante para motivar o seu uso se dá por conta dele detectar obstáculos que muitas vezes não estão visíveis ao motorista durante a manobra (muretas baixas, objetos no chão, etc.);
  3. Quais os tipos de sensores disponíveis no mercado? Atualmente os sensores encontrados de forma acessível são os sensores por ultrassom e os sensores magnéticos. Cada sensor possui seus prós e contras, e uma variação de valor para aquisição;
  4. Como funciona o sensor por ultrassom e quais suas características? O sensor por ultrassom funciona de forma semelhante a um sonar: ele emite uma frequência sonora inaudível ao ouvido humano, o qual reflete no objeto e volta emitindo um sinal. Dessa forma, a distância é calculada através do tempo que o sinal gasta para regressar do objeto ao sensor. Ele geralmente acusa a partir de distâncias próximas a 1 metro, e é mais sensível com relação a obstáculos menores. Pode ser utilizado em para-choques metálicos, desde que os sensores sejam próprios para essa finalidade (verifique essa informação ao comprar). Como ponto negativo, ele exige que seja feito furos no para-choque do veículo para instalação dos sensores (geralmente vendidos em 2 ou 4 sensores). Dê preferência sempre para a compra de kits com 4 sensores, pois irão detectar melhor os obstáculos;
  5. Como funciona o sensor magnético e quais suas características? Esses sensores possuem uma fita magnética que é colada em toda a extensão do para-choque (pelo lado interno). Essa fita cria um campo magnético. Todos os obstáculos que entrarem no campo magnético serão percebidos e farão com que o sistema bipe. Possui a vantagem de não precisar furar o para-choque do veículo. Por outro lado, não podem ser instalados em para-choques metálicos, não apresentam sensibilidade tão grande quantos os modelos por ultrassom, e só indicam obstáculos enquanto o veículo estiver em movimento (se ele parar, logo em seguida o sensor também irá parar de bipar);
  6. Pode ser instalado em qualquer veículo? Sim, desde que se obedeça as recomendações do manual com relação a distância do chão e entre os sensores, e não se tenha nenhuma parte metálica em frente ao local instalado, atrapalhando o seu correto funcionamento;
  7. São caros? Hoje seus valores se encontram bem mais acessíveis. Um kit de sensor por ultrassom com 4 sensores é encontrado a partir de R$ 60,00, enquanto um kit magnético é encontrado a partir de R$ 100,00. Claro que além desse custo, ainda há o custo de mão de obra da instalação, que geralmente gira em torno de 1 hora de serviço e fica na faixa de R$ 80,00 (isso dependendo de sua cidade e do local onde irá realizar o serviço);
  8. Existem fatores que atrapalham seu funcionamento? Sim, chuva ou outras corpos estranhos que passarem na frente do sensor podem fazer ele emitir um falso alerta de proximidade, dependendo da sensibilidade do kit;
  9. Podem ser instalados na dianteira do veículo? Podem, e já existem kits que disponibilizam os sensores dianteiros e traseiros, com visor indicando ambas as partes do veículo. A diferença é que enquanto o traseiro é acionado sempre pelo interruptor da marcha ré, o dianteiro deve ser acionado manualmente enquanto se estiver realizando a manobra e houver a necessidade de usá-lo;
  10. Original ou paralelo? Se você for comprar um veículo 0km, e houver a possibilidade de compra-lo com o kit instalado de fábrica, o faça. Além da instalação ser coberta pela garantia do veículo, geralmente os ajustes de sensibilidade são feitos exatamente para aquele veículo, ele tem um melhor funcionamento e a instalação é mais limpa. Caso não haja essa opção, e eles vendam separadamente como acessório na concessionária, compensa mais mandar instalar o kit fora (pois além de ser utilizado um kit semelhante aos de acessório de concessionária, o valor de instalação será muito mais atraente).
Fonte: g1.globo.com/autoesporte /  Blog Carro de Garagem / TechTudo / Wikipédia

Fotos: Divulgação
COMPARTILHAR